TODOS OS CORONAVÍRUS DO MUNDO CABERIAM EM UMA LATA DE REFRIGERANTE!

Para calcularmos o volume de coronavírus existentes no mundo precisamos inicialmente responder três questões:

1) quantos coronavírus há em cada pessoa infectada?

2) quantas pessoas estão infectadas?

3) Qual o volume de cada coronavírus?

Quantos coronavírus há em cada pessoa infectada?

Um estudo estimou que a quantidade de coronavírus (SARS-CoV-2) no pico de carga viral varia de 1 bilhão a 100 bilhões de partículas de vírus. 

No entanto, nem todos os infectados estão no pico de carga viral. Assim, a quantidade de coronavírus de cada pessoa atualmente infectada depende de há quanto tempo foram contaminadas. Acredita-se que as cargas virais aumentem e cheguem ao pico cerca de seis dias após a infecção e depois diminuam continuamente.

Assim, as pessoas infectadas há seis dias terão a carga viral máxima. Entre as pessoas que estão contaminadas no momento, aquelas que foram infectadas há cinco ou sete dias contribuirão um pouco menos para a contagem total. Aquelas infectadas há quatro ou oito dias contribuirão um pouco menos ainda, e assim por diante. 

Quantas pessoas estão infectadas?

Segundo o site Our World in Data, meio milhão de pessoas testam positivo para COVID diariamente. No entanto, muitas pessoas não são incluídas nesta contagem porque são assintomáticas ou por não terem sido testadas. Por meio de modelos estatísticos e epidemiológicos, o Institute for Health Metrics and Evaluations estima que o número real de pessoas infectadas a cada dia é de cerca de 3 milhões.

Uma vez que sabemos aproximadamente como a carga viral muda ao longo do tempo, é possível termos uma estimativa da carga viral total da população mundial. Podemos trabalhar com um valor no meio (média geométrica) do intervalo de 1 a 100 bilhões, estimado para a carga viral máxima por pessoa, que é de 10 bilhões. Se somarmos todas as contribuições para a carga viral de cada uma das 3 milhões de pessoas que foram infectadas em cada um dos dias anteriores (assumindo que essa taxa de 3 milhões de infectados seja aproximadamente constante), descobrimos que há cerca de duzentos quatrilhões (2×10¹⁷ ou duzentos milhões de bilhões) de partículas de vírus no mundo a qualquer momento.

Qual o volume de cada coronavírus?

A estimativa do diâmetro de um coronavírus varia de 80 a 120 nanômetros. Um nanômetro é um bilionésimo de um metro. Para colocar em perspectiva, o raio do coronavírus é cerca de 1.000 vezes mais fino do que um fio de cabelo humano. Podemos assumir o valor médio para o diâmetro de 100 nanômetros para o cálculo subsequente.

Sendo o coronavírus aproximadamente esférico, para calcular o seu volume devemos usar a fórmula para o volume de uma esfera que é:

V = 4 π r³ / 3

Sendo o raio do coronavírus de 50 nanômetros (metade do diâmetro), temos:

V = 4 π 50³ / 3 =  523.000 nanômetros.

Multiplicando este pequeno volume (523.000 nanômetros) pelo número de partículas que existem no mundo (2×10¹⁷) e convertendo em unidades significativas, isso resulta em um volume total de cerca de 120 ml.

No entanto, se  quiséssemos agrupar todos esses coronavírus juntos em um só lugar, precisaríamos lembrar que as esferas não se compactam perfeitamente, quando empilhadas.

Os espaços vazios, entre as esferas de laranja, ocupam aproximadamente 26% do volume total. Isso faz com que o volume total de coronavírus agrupados seja de 160 ml, que corresponde a menos da metade do volume de uma lata de refrigerante.

Mesmo se considerássemos os maiores diâmetros de coronavírus, 120 nanômetros, e levando em consideração o tamanho dos espinhos, ainda assim todos os coronavírus do mundo  não encheriam uma lata de refrigerante.

Todos esses cálculos foram realizados pelo biólogo matemático Christian Yate da Universidade de Bath, do Reino Unido, no artigo “All the coronavirus in the world could fit inside a Coke can, with plenty of room to spare”, no “The Conversation” 

https://theconversation.com/all-the-coronavirus-in-the-world-could-fit-inside-a-coke-can-with-plenty-of-room-to-spare-154226

REFERÊNCIAS:

Ron Sender, Yinon M. Bar-On, Avi Flamholz, Shmuel Gleizer, Biana Bernsthein, Rob Phillips, Ron Milo. The total number and mass of SARS-CoV-2 virions in an infected person. medRxiv 2020.11.16.20232009; doi: https://doi.org/10.1101/2020.11.16.20232009 

Our World Data https://ourworldindata.org/Health Metrics and Evaluations http://www.healthdata.org/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: